Michele Daiana: Janeiro 2013

Para assitir: The Carrie Diaries


A história gira em torno de Carrie Bradshaw (AnnaSophia Robb) de 16 anos, no ano de 1984 e é um prelúdio de Sex and the City. Carrie mora com o pai Tom e a irmã rebelde Dorritt, ambos tentam superar a morte da mãe, que morreu a pouco mais de 3 meses. Na escola Carrie lida com problemas típicos de uma adolescente, apaixonada pelo novato Sebastian Kydd, que também tem uma quedinha por ela, porém sua rival Donna Ladonna fará de tudo para que os dois não fiquem juntos. As melhores amigas de Carrie nesta época são a nerd Mouse, a sarcástica Maggie e Walt, um jovem que ainda não definiu sua sexualidade.


Carrie consegue a oportunidade de ir para Manhattan para fazer um estágio em um escritório de advocacia. Assim, ela se divide entre sua vida adolescente em Connecticut e o deslumbre do mundo adulto de Manhattan.  Com o tempo, os produtores pretendem mostrar ao público como Carrie conheceu Samantha, Miranda e Charlotte, suas melhores amigas em Sex and the City. Lá Carrie descobre que pode criar uma vida nova para si mesma. Uma vida onde ela pode ser quem ela realmente é. É quando conhece Larissa Loughton, que trabalha na Interview Magazine e faz de tudo para manter Carrie ao seu lado. Larissa e seus amigos, que são pessoas muito influentes no mundo da moda, música e literária não sabem que Carrie tem apenas 16 anos e ainda está no Ensino Médio. Carrie então, ganha uma vida dupla, no caminho de encontrar a sua voz e ser quem ela realmente quer ser e a vida que seu pai quer para ela (isso me lembrou muito a história de Jane by Design).


Outros temas que a série aborda é a promiscuidade, o uso de drogas, a homossexualidade e o avanço da AIDS na década de 1980. A série ainda está na sua 1º temporada e promete ser mais uma das favoritas dos adolescentes e já é uma das minhas favoritas e amando os figurinos de Carrie 


Para a unica pessoa que nunca desistiu de mim


Nunca sei direito por onde começar. Mas com nós foi tudo tão natural, que agradeço. Não precisar perder noites de sono por um amor não correspondido foi muito bom. Você veio para me corresponder, entender e aceitar o meu jeito.  Jeito esse que já afastou muitos outros antes de você. Confesso que no inicio tudo o que eu mais queria era não me envolver, mas só ao te olhar eu perdia os sentidos.


Eu nunca acreditei em amor a primeira vista. Até te ver pela primeira vez. É muito clichê dizer que você foi a peça que faltava no meu quebra cabeça? Talvez todo amor correspondido soe meio clichê. Não me importo, até pouco tempo atrás eu era só metade neste mundo todo. Como eu agradeço você não ter ouvido todas as vezes que eu te pedia para ir embora, porque no fundo você sempre me conheceu tão bem, que quando te pedia para ir, era para te ver ficar.

Como eu agradeço nunca ter dado certo com ninguém antes e ter te reservado este espaço que foi feito especialmente para você. Sempre li nos livros que a gente sente quando o verdadeiro amor chega e confesso que sempre senti medo de deixar escapar. Mas o que é para ser, apenas é.
Aprendi que a saudade também pode ser boa, quando se tem a certeza que logo ela se vai. Percebi que nem sempre coisas ruins nos tiram o sono, quando não consegui dormir de tanta felicidade. Quis passar muitas noites em claro com você para não perder nenhum segundo do teu lado. Alias, desculpa todas as vezes que te via fechar os olhos no meio da madrugada e te chamava, tentando prender a sua atenção. Nunca consegui dormir primeiro que você, então passava horas te olhando, e você mal sabe disso.

Ainda nem acredito que alguém me ame tanto quanto eu. Te falei milhares de vezes o tão complicada eu era, e você quis pagar pra ver. Nunca entendi como você continuava falando comigo depois de eu desligar o telefone propositalmente na sua cara. Não entendo como você me perdoa tão facilmente depois de eu ficar emburrada, sem motivos. Nunca fiz nenhum esforço para você ficar, e ainda assim, você ficou. Você viu qualidade onde para mim só havia defeito. Você mergulhou de cabeça nos meus sonhos e aceitou torna-los realidade comigo. Você escolheu viver a vida do meu lado, mesmo sabendo que qualquer motivo para mim virá discussão. Me deixou sem armas, e eu me rendi completamente. E prometo lutar, até o fim, pela única pessoa que nunca desistiu de mim, você. 

Para refletir: A MAIOR TRAGÉDIA DE NOSSAS VIDAS



Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça.
 
A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta.
 
Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa.
 
A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013.
 
As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada.
 
Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa.
 
Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio.
 
Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda.
 
Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência.

Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa.
 
Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram.
 
Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo?
 
O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista.
 
A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados.

Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro.

Mais de duzentos e quarenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos.

Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal.
 
As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso.
 
Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu.

As palavras perderam o sentido.

AUTOR: Fabricio Carpinejar é escritor, jornalista e professor universitário, autor de vinte e um livros, pai de dois filhos, um ouvinte declarado da chuva, um leitor apaixonado do sol.

Na noite de sábado para domingo, estava com meu namorado, não dormi naquela noite porque estava de mau com ele, por uma besteira. Logo cedo, ouvi do meu quarto o noticiário da televisão da cozinha e os comentário horrorizados da minha mãe, e pensei, qual é a tragédia deste domingo. No sábado mesmo, eu e meu namorado estávamos nos lamentando que queríamos estar numa festa, e não em casa. Quantos jovens em Santa Maria agradeceriam por não ter ido naquela balada. Sou gaúcha, e ver uma tragédia desta dimensão acontecer perto da gente, podendo haver familiares e amigos lá, nos dá um buraco no peito. E para os país, amigos e familiares das mais de 200 vitimas daquela tragédia, não posso nem imaginar a dor e o buraco que se instalou, para nunca mais ir embora. Lembrei das festas que eu vou, nunca parei para ver as saídas de emergência, na verdade, nós quando saímos só pensamos na diversão, nos sentimos intocáveis de qualquer tragédia. Quando na verdade, isso poderia acontecer com nós. A gente nunca sabe quando será o nosso ultimo dia, nem quando vamos perder uma pessoa tão querida próxima de nós. Triste que precisa acontecer este tipo de coisa para darmos mais valor para a nossa vida e a companhia de quem amamos. O RS está de luto, o Brasil está de luto, eu estou de Luto.

Sonzinho para o fim de semana


Pretendo voltar a ativa, com mais posts semanais, estou com a cabeça a mil e preciso ocupar a mente! Ando dormindo bem pouco, passo grande parte das minhas noites ouvindo musica e pensando na vida (apesar de que pensar demais nunca é bom, mas eu sou assim :/ ). Separei algumas musicas para curtir no fim de semana e espero que curtam! Bom fim de semana a todos!


Sobre a minha vida daqui pra frente


Eu sei, ando bastante ausente ultimamente, mas é por um bom motivo! Em março estou mudando de cidade e indo morar sozinha. Para quem não sabe moro em Xangri-lá, um município do litoral norte do RS com pouco mais de 10.000 habitantes. Essa não será a primeira vez que saio de casa, já tive duas experiencias bastante frustante antes e em ambas acabei voltando para casa. Porém será a primeira vez que vou morar em outra cidade, nasci aqui e não conheço nada de cidades grandes... Em março realizo um dos meus maiores sonhos, que é me mudar para a capital, Porto Alegre. E também será a primeira vez que ficarei longe da minha família. 

Bom, tudo começou no verão de 2012, quando coloquei na minha cabeça que em 2013 eu iria sair de casa e finalmente, de uma vez por todas iria começar a minha vida, independente e ir para a capital pra estudar, já que na minha cidade as oportunidades de emprego e faculdade são bem poucas. Ainda mais para mim que sempre sonhei além da minha pequena cidade, sempre me senti deslocada aqui e chega uma hora que a gente não consegue mais conviver com esse sentimento. 

Para piorar e aumentar a minha vontade de ir embora, comecei 2013 de uma maneira não muito boa, aparentemente eu vivia uma vida completa e feliz. Estava namorando uma pessoa maravilhosa, morando com meus pais, que sempre me auxiliaram em tudo e tinha um bom emprego. O que mais eu poderia querer? Eu queria o mundo, o incerto, acordar pela manhã sem saber o que me espera naquele dia, queria coisas novas, pessoas novas, novos ares, eu queria voar, mais ali eu não podia. E numa dessas minhas crises de existência cheguei em casa um dia desses desesperada chorando, cansada de tudo, exausta da vida que eu levava e principalmente decidida a mudar. 

E foi isso que eu fiz, no dia seguinte pedi demissão do meu emprego, conversei com meus pais, com meu namorado e me decidi, em março eu começo uma vida nova. Joguei tudo para o alto, abri mão de uma vida confortável para me jogar no incerto, eu sei que minha história é longe daqui, em algum lugar do mundo e se eu não procurar pelo meu lugar, corro o risco de viver uma vida vazia, cheia de saudade de nem sei bem o que. E não é isso o que eu quero. Não quero acordar pela manhã sabendo exatamente como será o meu dia, não quero cruzar sempre com as mesmas pessoas e nem tão pouco percorrer todos os dias o mesmo caminho. Nunca gostei de cidades pequenas, apesar de morar 23 anos em uma, meus sonhos são grandes demais para o limitado, eu quero mesmo é me jogar no mundo e escrever a minha história, mesmo sabendo que para isso, eu terei que abrir mão de muita coisa importante. Pela primeira vez me sinto a borboleta saindo do casulo.

Hoje muitos estão me chamando de louca, meus pais ainda não aceitaram, nem sei mais o que será do meu namoro e eu não sei mais nada de como será daqui para frente, pela primeira vez eu não sei o que vai acontecer na minha vida, e isso é bom, de certa forma. Se vai dar certo, eu não sei, mas eu quero correr esse risco, mais do que nunca, eu quero descobrir, sozinha, ou com quem quiser seguir ao meu lado, mas abrir mão desse sonho, nunca.

Meus covers favoritos do momento


Amo Covers, e estou sempre buscando coisas novas! Como tinha tempo que não fazia nenhuma indicação musical aqui no blog, resolvi compartilhar com vocês alguns covers que eu achei e amei nos últimos dias!


Conhecendo um blogueiro


Aqui podemos conhecer o habitat natural de um blogueiro.


O blogueiro é uma criatura tímida e dócil ...


... Que prefere a noite...


E ... Tende a ser cauteloso com o mundo exterior.


Os blogueiros raramente dormem, e quando o faz, costuma ser em lugares aparentemente aleatórios.


Nós tentamos entender os hábitos alimentares dos blogueiros ...



Mas ... sem sucesso.
Gente eu achei hilária essa seção de fotos que encontrei neste tumblr aqui = dolla dolla bill y'all, exagerada é claro, mas deu pra se identificar um pouquinho né! Eu tive que compartilhar isso!


Decidi que vou ser escritora


Noite passada decidi que iria ser escritora, mas pra que? Nem sei escrever, não sei rimar e nem sei se meu português é tão bom assim. Minha faculdade de letras ficou lá, trancada e eu nunca voltei para concluir. Eram tantas regras e eu nunca gostei de muitas regras. Me incomodam. E eu nunca sigo nada a risca. Que espécie de escritora seria eu? Nunca viajei, nunca sai da minha cidade, nem sei se tenho o que compartilhar com as pessoas, minha vida é tão sem graça. Quem gosta de ler coisas sem graça? Eu não gosto. Escrever sobre corações partidos? Ai sim, já parti o meu milhares de vezes, mas no momento não posso reclamar, esta intacto, consertado e a prova de balas dessa vez. Minha vida amorosa vai muito bem obrigada. Dizem que a gente só escreve histórias boas quando se esta sofrendo por amor, então estou ferrada. Eu não estou sofrendo, graças a deus. Então, que espécie de escritora serei eu? Não quero escrever histórias inventadas. Dizem que a pessoa nasce com o dom. E eu? Nasci para isso? As pessoas dizem que escrevo bem, mas quem garante? Eu não me garanto! Ops, não deveria dizer isso! Minha mãe disse que a gente sempre deve se garantir. E quando a gente quer muito uma coisa, sempre acontece. Então ta ai, EU QUERO SER ESCRITORA! Então eu vou ser.

Wishlist: Livros que eu quero comprar em janeiro


Fiz uma lista bem grande de livros que eu quero comprar nos próximos meses! Só na ultima semana comprei 10 livros e nem sei mais onde coloca-los (preciso de uma estante!). Mas 3 livros em especial eu querooo muito comprar! Fazer estas listas me mantem no foco de livros que eu realmente quero, e assim não saio como a loka dos livros comprando qualquer um com a capa bonitnha (sim, eu compro livros pela capa!).



Nesta antologia, editada por Holly Black e Justine Larbalestier, diversos contos apresentam fortes argumentos a favor de Zumbis de um lado e de Unicórnios de outro. Os argumentos, que incluem tanto pontos negativos e positivos de cada lado, são expostos por renomados autores, entre eles Cassandra Clare, Meg Cabot e Scott Westerfeld, que deixam clara sua preferência por um time ou outro.


Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras - são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.


R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. 
Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa. 



Novidade no Blog: Resenhas de livros


Faz um tempão que eu estou com a ideia de fazer resenhas aqui no Blog, eu amo ler e estou comprando mais livros que o normal ultimamente! A ideia é fazer uma votação, de qual resenha vocês preferem ver, eu leio o livro e conto aqui depois a MINHA opinião sobre o livro! Assim me obrigo a ler todo o livro, mesmo achando chato (tenho deixado vários livros pela metade ultimamente!). Tenho uma lista enorme de livros para ler e comprar em 2013 e quero compartilhar tudo com vocês!

Decidi começar com 4 livros que estão encalhados aqui na minha prateleira! Votem em qual livro vocês preferem ver 1º aqui no Blog. A ideia é 1 resenha por mês, já que não estou conseguindo ler mais de um livro no mês!



Uma carta para mim mesma em 2013


Todo inicio de ano eu faço uma lista enorme de metas que eu nunca cumpro. Todo final de ano é uma frustração porque não consegui chegar nem no numero 5 de 50. Acho que estas listas me deixam na "obrigação" de cumpri-las e eu de teimosa, não faço nada que sou obrigada! Então este ano eu resolvi fazer diferente, fiz uma carta para mim mesma, e lá no final do ano,  me respondo, se consegui tudo o que eu tanto desejava para 2013. E resolvi dividir com vocês meus sonhos para um bom 2013 ♥

Oi, tudo bem? Já fez a sua lista de metas para este ano? Espero que sim, ou que não... Eu sei que você não vai cumprir nem a primeira, aliás, você vai deixar a lista de lado logo depois de escrevê-la, você sempre faz isso... Já comprou uma agenda nova? Queria que você me explicasse porque tantas agendas em branco, porque todo ano você faz questão de comprar uma agenda para não escrever nela, seus anos são tão chatos assim que você não tem o que escrever, te garanto que não... Espero ver a agenda de 2013 usada no final do ano, não me desaponte!
E ai, leu todos os livros que você disse que leria? Comprou uma estante para colocar os livros que estavam tomando conta do seu quarto? E me conta, gastou mais dinheiro em livros ou em roupas? Estou ansiosa para saber e se te conheço bem, já sei a resposta!
Lembra-se do seu pedido quando completou meia noite no relógio do dia 1º de janeiro? Você realizou? Espero que sim, porque sei o quanto você ficaria triste caso não realizasse. Boa sorte na caminhada, boa sorte na nova cidade caso você consiga se mudar para a capital, teu grande sonho! E caso você consiga, não se esqueça do que você foi fazer lá, estudar e trabalhar no que gosta. Não gaste o seu talento com coisas que não te acrescentam em nada, eu sei o quanto você se sente fora deste mundo e como a sua cidade ficou pequena para você, e sei que isto se tornou a grande motivo das suas insônias, espero que você possa deitar a cabeça no travesseiro tranquila, porque você conseguiu. E não se esqueça de quem sempre esteve do teu lado, volte para visitar!
Espero que você tenha parado de complicar o descomplicado, que tenha perdido essa sua mania boba de se chatear por qualquer coisa, perca essa sua mania de fazer tempestade em tampinha de garrafa! Quanta coisa boa você deixa de viver para ficar emburrada!
Parou de beber refrigerante e começou a beber agua? Espero que sim, caso contrario final do ano sei como vou te encontrar! E a alimentação, ta cuidando mais? Lembra da sua gastrite que tanto te incomoda porque você vive comendo porcaria!
Boa sorte neste 2013, e que você consiga realizar todos os seus sonhos, mas lembre-se: NADA vem fácil e não desista no 1º obstáculo, aliás, muitos estão por vir... Em dezembro de 2013 você me conta como foi e por favor não me desaponte, eu espero muito de você, porque afinal, é só com você que eu posso contar para me ver realizada!

De quem te conhece muito bem.